terça-feira, 14 de outubro de 2008

PARIS, SETEMBRO DE 1793




O romance Paris, setembro de 1793, de Mauro Camargo, está sendo publicado pela Editora Lachatre, de São Paulo. O tema principal é a reencarnação, porém, fugindo do estilo dos romances reencarnacionistas tradicionais. Os personagens do romance vivem seus conflitos no Período do Terror, quando Robespierre, desvirtuado dos princípios libertários da Revolução Francesa, tentou consolidar seus ideais políticos através da força e da violência. O mundo contemporâneo ao nosso destes personagens, corre em paralelo dentro da narrativa, para que se possa avaliar mais profundamente os efeitos dos nossos atos no passado e suas consequências no futuro, ou vice versa. Além desta novidade quanto ao estilo, ainda o leitor poderá descobrir a influência do magnetismo animal nos alicerces dos princípios revolucionários. Outro elemento que o magnetismo animal trouxe à tona foi o estudo do sonambulismo por ele propiciado e que foi fator decisivo para o nascimento do Espiritismo como doutrina. O magnestismo animal foi proposto como teoria curativa, dentro da medicina, pelo médico alemão Mesmer, antes mesmo da Revolução Francesa e influenciou de maneira significativa na fundamentação dos princípios humanistas da mesma, à partir do momento que colocava todos os seres humanos como iguais.

O romance está na primeira edição, que circulará nos clubes do livro por enquanto. Estará nas livrarias depois do dia 25 de outubro.
Paris, setembro de 1793.

Autor: Mauro Cesar Bruginski Camargo

Editora: Lachâtre

5 comentários:

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Mauro! Até que enfim te encontro, isto é, leio alguma coisa nova nesse blog.

Parabéns pelo Paris, já era hora, nêgo! rsss

Sandra Knoll disse...

Muito bem...que bom que vc conseguiu.Saudades.
bjão

Konder Reis disse...

Boa tarde Mauro!

Escrevo para agradecer por tão esclarecedora história "Paris 1793". A leitura ficou trancada por mais de ano no meio da história, e não por acaso retomei a leitura na hora certa, onde grandes mudanças batem à porta!
Um grande abraço!

Daniel Konder Reis

mauro camargo disse...

Daniel, obrigado pelo comentário. Como eu já lhe disse pessoalmente, o Paris sempre me assusta um pouco pela sua capacidade de reagir com as pessoas. Que bom que ele fez alguma diferença pra vc.

Eu sou um pouco distante, por dividir meu tempo entre os consultórios e os livros (então sobra pouco para os amigos)... mas saiba que estamos (eu e Grasi) sempre ao alcance. Conte sempre conosco.

grande abraço

mauro camargo disse...

em tempo Daniel, o livro que vc me emprestou é ótimo e está bem cuidado. Quando nos encontrarmos devolvo.